• 26 de May de 2019
  • LANGUAGE:
    • English
    • Español
    • France
    • Chinese
ONDE IR? COMO IR? O QUE FAZER? COMECE A VIAJAR AQUI...

O QUE É NOTÍCIA

Grécia pede ao Reino Unido que obras milenares retornem para Atenas

Grécia pede ao Reino Unido que obras milenares retornem para Atenas

Por: Paulo Panayotis | São Paulo - Brasil Categoria: Colunista

Governo grego pede ao Reino Unido que obras milenares retornem para Atenas
 

Da Redação com a Reuters

A disputa dura quase dois séculos. Desde 1832, ano da Independência grega do domínio Otomano, o governo grego reivindica insistentemente o retorno de diversos mármores gregos do Museu Britânico, em Londres, para o novo Museu da Acrópole, inaugurado em 2009 em Atenas. Na última segunda feira, (15) o Presidente grego, Prokopis Pavlopoulos, voltou a solicitar o retorno das obras para a Grécia em um campanha que se intensificou desde 2009.

Parte dos mármores de Elgin que foram "levados" para o Museu Britânico, em Londres

A história do espólio


No início do século 19, quando a Grécia estava sob o domínio do Império Otomano, Thomas Bruce, ou Lorde Elgim, “subtraiu” esculturas de mármore do Parthenon, na Acrópole grega. Ele “levou-as” para Londres, onde hoje estão expostas em uma galeria do Museu Britânico com o nome de “Os Mármores de Elgim”.

Testeira do Partenon que foi levada inteira para o Reino Unido: legitimamente grega!

Os polêmicos Mármores de Elgin, legitimamente gregos!

As esculturas “subtraídas” por Lorde Elgin, então embaixador britânico junto ao Império Otomano em Atenas, datam de 2500 anos e são “legitimamente gregas” afirmou na última segunda feira  o presidente grego Pavlopoulos.”Estamos travando uma batalha sagrada por um monumento que é único! É grego de origem e mundial de direito, completou o Presidente helênico.

Reprodução artistica da retirada dos mármores do Parthenon pelos ingleses

Para o Consul da Grécia em São Paulo, Stelios Hourmouziadis, que falou com exclusividade ao Portal OQVPM, "Além das questões jurídicas quanto ao modo de extração das mármores do Partenon e da Grécia, que criam muitas dúvidas, a restituição dos mármores é uma questão ética, política, científica e cultural. Os mármores do Partenon, diz Stelios, são elementos constitutivos dessa obra do patrimônio universal do mundo. As esculturas e as partes que foram clandestinamente retiradas do templo, no fim - já preanunciado - do império otomano, nunca foram concebidas como obras separadas do templo. Fazem parte da sua estética e estática. Hoje com o moderno e ultra desenvolvido novo museo da Acrópolis, completa ele o retorno das mármores é imperativo. Continuamos sempre lutando por isso.

Resposta oficial do Governo Britânico

Foto de parte das obras retiradas da Grécia 


Até o momento da publicação desta nota(quarta, 17 de abril), as autoridades britânicas não haviam se pronunciado sobre mais esta solicitação do governo grego. No entanto, resistem em devolver as obras clássicas argumentado que foram adquiridas por Lorde Elgim diretamente do Império Otomano por meio de um contrato legal à época.

FONTE: REDAÇÃO/ Reuters

GALERIA DE IMAGENS

CLIQUE PARA AMPLIAR AS IMAGENS