• 18 de December de 2017
  • LANGUAGE:
    • English
    • Español
    • France
    • Chinese
ONDE IR? COMO IR? O QUE FAZER? COMECE A VIAJAR AQUI...

O QUE É NOTÍCIA

Tram Experience: nem só de cerveja vive Bruxelas...

Tram Experience: nem só de cerveja vive Bruxelas...

Por: Paulo Panayotis | São Paulo - Brasil Categoria: Colunista

Bruxelas, Bélgica.
- Você sabia que nos últimos anos apenas seis funcionários trabalhavam no antigo prédio da Bolsa de Valores de Bruxelas? E qual o tamanho do prédio? Mais de 11 mil metros quadrados e foi construído há dois séculos...Este diálogo improvável ocorre  no prédio do departamento oficial de turismo em plena Grande Place. Os interlocutores: eu e a gerente executiva do projeto Belgium Beer Experience. Será que entendi bem? Vocês vão transformar um prédio histórico, com mais de dois séculos, no coração de Bruxelas, em um templo da ... cerveja?Isso mesmo, responde uma assumida e quase eufórica executiva cervejeira sentada à minha frente.

Nel Vandevannet trabalha no projeto há vários anos. Aprovado por lei, com investimentos superiores a 30 milhões de euros, todo o lugar será transformado em uma grande galeria cuja principal obra de arte será ela: a cerveja!E depois dizem que quem gosta de cerveja é brasileiro!O negócio cervejeiro na Bélgica é tão sério que dois terços do investimento vêm do governo. E o restante dos cervejeiros. Projetado para estar concluído em abril de 2019, o Belgium Beer Experiencie é o esforço de um país inteiro.

Um esforço justificado. Após os atentados que sacudiram a Bélgica em 2016, o turismo declinou, o ceticismo aumentou e a renda do setor, digamos, minguou.

“Queremos assumir nossa posição de capital mundial da cerveja , declara Vandevannet e, com isso, revitalizar o turismo”. Tem sentido. Por lá, são produzidos mais de dois mil tipos de cervejas. Das reverenciadas trapistas às respeitadas Moëder Lambic, tem de todos os sabores e para todos os gostos.

Louras, brancas, negras, ruivas, fortes, mais fortes, fortíssimas!

Já havia visitado Bruxelas há alguns anos. Encontrei nesta viagem uma nova cidade.

Nada daquela sensação de insegurança transmitida pelas televisões e jornais do mundo todo.Pelas ruas, revi uma cidade calma, sem stress.

Mas também conheci uma outra, moderna na medida certa, com gente hospitaleira, amigável, sinceramente sincera e com ritmo próprio. Fiquei surpreso. Positivamente surpreso.

Vou tomar uma para comemorar. Uma cerveja, claro!Mas qual meu deus??!!

Conheci, em três rápidos dias, galerias de arte, um pouco da arquitetura art nouveau, o Atomiun, hotéis e diversos restaurantes. Todos, aliás, com jeito, gastronomia e produtos totalmente diferentes. E sim, tomei vinho apesar do medo de ser desconjurado pelo sindicato dos cervejeiros local...A gastronomia?  Transada, diversificada, cativante.

Adorei os diversos – e fantásticos – cortes no Le Colonel, especializado em carne.

Fui de Rubia Galega, uma raça normanda que apresenta sabor mais leve, mais fino, mais sofisticado.

Absolutamente, deliciosamente, eternamente inesquecível.

Me diverti no moderninho – e caro – San, onde viajei por sabores com toques asiáticos.

A proposta do chef coreano é servir tudo em cumbucas e mandar ver com colher mesmo.  Sim, da entrada à sobremesa... Tudo só é servido para comer com colher.

Me derreti fazendo meu primeiro chocolate sob a supervisão do respeitadíssimo chocolatier Laurent Gerbaud. “Uso cem por cento de cacau de extrema qualidade” diz ele enquanto tento não sujar as mãos como criança (embora tenha tido muita vontade).

Apreciei demais o basco Les Files de Jules, com seu foie gras poelê escoltado de peras, uvas,nozes e flor de sal e harmonizado com um estonteante tinto de uva Irouléguy. Basco macho!

Mas amei mesmo foi a Tram Experience. Trata-se de um trem elétrico moderno com cara vintage. Transformado em um restaurante sobre trilhos, viaja pelas charmosas e desconhecidas ruas de Bruxelas servindo sonhos embalados em uma requintada alta gastronomia belga.

Ao sabor de um balanço suave, como em um conto de fadas para adultos, desfilam pela sua frente, durante duas horas, pratos executados por chefs belgas estrelados  que se revezam a cada mês.

Tudo harmonizado com espumantes, tintos e brancos de primeira qualidade enquanto a cidade passa preguiçosamente – ou seria deliciosamente? - por você. Amigo, tem que reservar. Amigo, tem que conhecer! NÃO saia de Bruxelas sem viver esta experiência única, mágica, íntima. Garanto que nunca mais esquecerá.Garanto que, de fato, será uma viagem gastronômica única no sentido dúbio da palavra...

Ainda tem dúvidas de que Bruxelas está de cara nova? Eu não.

O jornalista viajou a convite do Visit Brussels com seguro viagem Travel Ace.

GALERIA DE IMAGENS

CLIQUE PARA AMPLIAR AS IMAGENS