• 18 de August de 2017
  • LANGUAGE:
    • English
    • Español
    • France
    • Chinese
ONDE IR? COMO IR? O QUE FAZER? COMECE A VIAJAR AQUI...

O QUE É NOTÍCIA

Alitalia mira 2019 para voltar a dar lucro

Alitalia mira 2019 para voltar a dar lucro

Por: Paulo Panayotis | São Paulo - Brasil Categoria: Companhia aérea


A Alitália, que recentemente recebeu um grande aporte financeiro da Etihad, acabou de realizar a sua última reunião do Conselho Gestor da empresa e aprovou seu plano de Negócios para os próximos quatro anos 2017-2021. As principais deliberações preveem redução de custos no valor de € 1 bilhão (quase R$ 4 bilhões de reais) até 2019, com consequente aumento de 30% na receita no mesmo período para finalmente voltar a ser uma companhia rentável. Para isso, deverá haver uma redução imediata de 20 aeronaes(nas frotas de pequeno porte) e readequação na frota principal a médio e longo prazos. Confira, abaixo, o conteúdo completo o release divulgado pela Alitalia nesta quinta-feira.16 de marco. 

Roma, 16 de Março de 2017 – O Conselho de Administração da Alitalia aprovou ontem o plano de negócios da empresa, que inclui uma série de medidas radicais e necessárias para estabilizá-la e garantir sua sustentabilidade em longo prazo.A administração da companhia aérea apresentará, em breve, ao governo italiano o plano aprovado pela Diretoria e, em seguida, se reunirá com os sindicatos para explicar os detalhes do plano de negócios, as medidas relacionadas ao número de funcionários e retomar as negociações sobre um novo acordo coletivo de trabalho.

A Alitalia afirmou que vai reduzir os custos em € 1 bilhão nos primeiros três anos do plano até 2019, com reduções nos custos operacionais e de mão-de-obra. A Alitalia aumentará as receitas, no mesmo período até 2019 em 30%, de 2,9 mil milhões de euros para 3,7 mil milhões de euros.
Estes indicadores de desempenho financeiro são considerados realistas e alcançáveis ​​por conselheiros independentes e os números projetados transformariam a Alitalia em uma empresa rentável até 2019.
As ações do plano de atividades são apoiadas por «quatro pilares da mudança»; Um modelo de negócio recalibrado, reduções de custos e aumento da produtividade, otimização da rede e parcerias e desenvolvimento de iniciativas comerciais utilizando investimentos em tecnologia para impulsionar a receita.
Cramer Ball, CEO da Alitalia, afirmou: "Com a aprovação pelo Conselho de Administração da segunda fase do nosso plano de negócios, podemos agora acelerar as nossas ações no sentido de transformar a Alitalia. Reconstruímos nossa marca na primeira fase e investimos fortemente em treinamento e tecnologia para que agora possamos avançar e implementar mudanças abrangentes.
A indústria da aviação é ferozmente competitiva e nunca fica parada. Somente através de uma mudança radical o destino da Alitalia será transformado. Nós devemos transformar o modelo de negócio em uma empresa dinâmica que seja atrativa aos clientes, que possuem poder de escolha em suas necessidades de viagens. Os hábitos de compra dos consumidores foram moldados pela forma como as transportadoras de baixo custo vendem seus produtos. Estou confiante de que a próxima fase do plano industrial representará o passo em frente necessário, desde que todas as partes interessadas desempenhem o seu papel.
As medidas radicais e necessárias em toda a companhia aérea assegurarão nossa sustentabilidade a longo prazo, que só se materializará se a companhia tiver o tamanho certo, a forma certa e com a produtividade e a base de custos adequadas.
Devemos fazer isso, especialmente em nossos serviços de curto e médio curso, a fim de fornecer uma plataforma de crescimento de negócio de longo prazo e rentável no futuro.
Este é um aspecto crítico porque a maioria dos nossos clientes voa em nossos aviões de médio e curto alcance para se conectar aos nossos serviços de longo curso.
Se não pudermos competir em toda a Itália e na Europa contra companhias aéreas de baixo custo, perderemos os viajantes aéreos que se conectam aos voos intercontinentais. Simplificando, não há absolutamente nenhuma alternativa."

Os detalhes dos quatro pilares da segunda fase do plano de negócios da Alitalia são:

1. Um modelo de negócio recalibrado

Os aviões de menor porte para os voos de curta e média distância terão um aumento de frequências, com incremento de assentos extras, serviços de compra a bordo e serviços auxiliares e tarifas aéreas mais atrativas, em um esforço concentrado para aumentar as receitas, eliminando os custos existentes.

Cremer Ball disse: "Nos mercados de curto e médio alcance - voos domésticos na Itália e em toda a Europa - os passageiros poderão personalizar a sua viagem. Vamos simplificar as tarifas aéreas e oferecer aos clientes a oportunidade de comprar produtos como assentos, bagagem despachada e prioridade de embarque durante todo o processo de reserva e todo o caminho até o portão de embarque no aeroporto. Nos voos com duração de até quatro horas, a Alitalia introduzirá o conceito do buy-on-board, serviço não mais trivial entre os transportadores low-cost e sim entre as companhias aereas tradicionais. Vamos oferecer aos nossos clientes uma escolha de 'made in Italy': alimentos quentes e frios, lanches e bebidas a valores competitivos."
Os voos intercontinentais de longo alcance da Alitalia se basearão em um modelo de serviço completo e manterão um foco intenso nos custos e na eficiência. Além da frota A330 da Alitalia, os Boeing 777s da companhia serão equipados com novos serviços de entretenimento e Wi-Fi a bordo. A nova aeronave emblemática da Alitalia, um Boeing 777-300ER de 382 lugares, irá juntar-se à frota de longo curso em Agosto de 2017.

2. Redução de custos e aumento da produtividade

Atualmente, as companhias aereas de baixo custo representam 47% do mercado italiano de viagens aéreas, a maior penetração do mercado na Europa.
Já estão em andamento conversas com vários fornecedores da companhia aérea para renegociar contratos e reduzir os custos para níveis comparáveis com a concorrência. As empresas visadas estão em setores como o leasing de aeronaves, a distribuição global, catering a bordo, a assistência em terra dos aeroportos e os próprios aeroportos.

3. Otimização de redes e parcerias

A Alitalia vai reequilibrar a sua frota de aeronaves até 2018, com redução de 20 aviões de pequeno porte. A companhia aérea irá aumentar a utilização das aeronaves, com especial destaque para as de curto e médio curso. A Alitalia planeja aumentar o número de voos da Itália para as Américas - um de seus mercados menos atendidos - e construir sua presença em Milão Linate, Sicília e Sardenha. A companhia reavaliará suas opções transatlânticas para voar com maior regularidade nas rotas existentes e adicionar novas cidades nas Américas.

4. Desenvolver novas iniciativas comerciais através da utilização de investimentos tecnológicos para gerar receitas

A Alitalia investiu 200 milhões de euros nos últimos dois anos em novas tecnologias e agora utilizará o investimento para melhorar a eficiência e a produtividade e gerar novas oportunidades de receita.

Cremer Ball disse: "Nosso investimento em tecnologia nos permitirá desenvolver novos canais de vendas e isso contribuirá para aumentar nossa receita em 30% até 2019. Os consumidores usam dispositivos tablet e telefones celulares mais do que nunca para gerenciar suas experiências de viagem e nós facilitaremos a interação com a companhia aérea. Cerca de 20% dos nossos clientes já utilizam plataformas on-line para reservar os seus voos e pretendemos aumentar esse número para mais de 50%. Nossos clientes continuarão a notar nossas melhorias e a perceber que a Alitalia se tornou uma companhia aerea diferente do passado."

FONTE : Alitalia Media | T. +39.06-65638950 | Email. media@alitalia.com

GALERIA DE IMAGENS

CLIQUE PARA AMPLIAR AS IMAGENS